Bancada de senadores do Amapá se solidariza com Davi após ataques na rede

Os três senadores – titulares e suplentes – da bancada amapaense no Senado publicaram manifestações em desagravo ao presidente do Congresso Nacional

Cleber Barbosa, da Redação

Os três senadores da bancada do Amapá na chamada Câmara Alta manifestaram solidariedade ao presidente do Congresso Nacional, o senador Davi Alcolumbre (DEM/AP), após os ataques sofrido por ele nas redes sociais, com manifestações até de cunho homofóbico, em virtude de um vídeo em que ela aparece dançando com seu pai no carnaval de rua de Macapá em 2019. Lucas Barreto, Randolfe Rodrigues e Paulo Albuquerque, criticaram as agressões e disseram que a Internet tem sim limites e precisam ser reforçados.

O primeiro a se manifestar foi Lucas Barreto (PSD), que se recupera de uma cirurgia em casa, mas fez questão de publicar seu posicionamento. “Assisti com indignação a agressão perpetrada contra o senador Davi Alcolumbre e seu pai, Samuel Tobelem, por meio de um vídeo editado criminosamente, numa clara demonstração de intolerância e preconceito. Sempre defendi e defenderei a liberdade de expressão, mas é bom lembrar que nem mesmo a mais plena liberdade é capaz de afastar um crime quando presentes atos de violência contra a imagem e a honra de pessoas, especialmente nessa era digital em que muitos acreditam que tudo é possível, como se a internet fosse uma terra sem lei”, diz o parlamentar amapaense.

Seu suplente no exercício do mandado, o médico Paulo Albuquerque (PSD/AP)foi além, lembrando que as atitudes são sim passíveis de responsabilização cível e criminal e que está vigilante para que isso realmente ocorra. Também admite ser um dilema a garantia pelas liberdades individuais e de manifestação, mas que para tudo há um limite. “Estarei sempre diante do dilema de defender todas as manifestações legais daqueles que se propuserem ao diálogo e não daqueles que utilizam os canais de comunicação, digitais ou não, para denegrir, explorar, criticar de maneira infame ou simplesmente acreditar que vivemos em uma sociedade onde podemos destruir a natureza humana do outro sem limites”, acrescenta Albuquerque.

Leia também:

 

O último a se manifestar foi o senador Randolfe Rodrigues (REDE/AP), que anda com relações meio estremecidas com Alcolumbre, mas que usou o microblog Twitter para declarar também estar solidário. “Calma gente! Tolerância e respeito, por favor, solidariedade ao presidente do Senado, Davi Alcolumbre, pelo ataques sem fundamentos que tem sofrido em relação a um vídeo em que aparece dançando com o seu pai. Tenho sentido na pele os ataques e sei que isso tem uma dimensão ainda maior quando se trata de família. Um abraço em você, no Samuca e em toda família!”, escreveu Randolfe.

você pode gostar também

- Publicidade -

Comentários
Carregando...