Gove Header

Profissionais de Saúde participam de formação sobre hanseníase do Ministério da Saúde

Enfermeiros, médicos, fisioterapeutas, biomédicos, psicólogos, assistentes sociais, farmacêuticos e gestores participam. Capacitação acontece em novembro e dezembro.

Da Redação

Durante os dias 25 e 26 de novembro e 02, 03 e 10 de dezembro, no horário de 9h às 12h, profissionais da atenção primaria do município de Macapá, como enfermeiros, médicos, fisioterapeutas, biomédicos, psicólogos, assistentes sociais, farmacêuticos e gestores participam da capacitação voltada à ações para eliminação da hanseníase.

A capacitação é ofertada pelo Ministério da Saúde e faz parte do projeto ‘Ação Para Eliminação’ (APELI), da Fundação Alfredo da Matta (FUAM) e Universidade Estadual do Amazonas (UEA), para os estados da região norte, que busca definir a estratégia nacional para o enfrentamento da hanseníase nos anos de 2019 a 2022.

Os palestrantes são especialistas na temática e são vinculados à Universidade do Estado do Amazonas. O objetivo da capacitação é reduzir a carga de hanseníase no Brasil e, consequentemente, no município de Macapá.

“A hanseníase é uma patologia existente desde a antiguidade. Um problema de saúde pública que precisa ser acompanhado. Estratégias precisam ser definidas para o controle da doença. A capacitação dos profissionais de saúde irá colaborar com essa definição, alinhando as ações que devem ser executadas em 2022”, destacou a secretária municipal de Saúde (Semsa), Karlene Lamberg.

Em Macapá, o evento foi organizado pela Semsa, por meio do Departamento de Vigilância Epidemiológica e Coordenação de Hanseníase e Tuberculose. No primeiro dia de evento aproximadamente 100 profissionais do município participaram.

Hanseníase

Hanseníase é uma doença crônica, causada pela bactéria Mycobacterium leprae, podendo afetar qualquer pessoa. Os sintomas são diminuição ou perda da sensibilidade térmica, tátil e força muscular, nas mãos, braços, pés, pernas e olhos e pode gerar incapacidades permanentes. O diagnostico precoce é importante para evitar transmissão, complicações e deficiências.

Em caso suspeito da doença, à população pode buscar atendimento na Unidade Básica de Saúde (UBS).

Publicidade (x)

você pode gostar também

- Publicidade -

Comentários
Carregando...