Por falta de repasse do federal, UBS’S da capital ficam sem vacina pentavalente

Jamile Moreira, jornalista

De acordo com a Nota Técnica (nº 190/2019) emitida pelo Ministério da Saúde (MS), todo o país passará por problema de reabastecimento. O MS explicou na nota que a falta da vacina aconteceu porque 3,2 milhões de doses, produzidas por um laboratório indiano, foram interditadas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária neste mês.

A estimativa de regularização é em outubro, tempo em que as doses passam pelo processo de distribuição e reabastecimentos das salas de vacina. Até lá, a orientação é realizar o agendamento da vacinação. “Seguiremos a recomendação do Ministério da Saúde e agendaremos todas as crianças que comparecerem às salas de vacina, para retorno a partir de outubro, garantindo assim que essas crianças que já estão no período de vacinação sejam as primeiras a ser atendidas”, explica a coordenadora de Imunização de Macapá, Jorsette Cantuária.

A pentavalente, que protege contra a difteria, tétano, coqueluche, hepatite B e haemophilus influenza B, é indicada para imunização de crianças a partir de dois meses de idade. A vacinação básica consiste na aplicação de três doses, com intervalo mínimo de 30 dias.  Os dois reforços necessários serão realizados com a vacina DTP (difteria, tétano e pertussis). O primeiro reforço aos 15 meses de idade e o segundo reforço aos 4 anos.

 

você pode gostar também

- Publicidade -

Comentários
Carregando...