Gove Header

Associação e Cooperativa de açaí solicitam apoio da Assembleia para impulsionar o setor

A sessão aconteceu de forma híbrida, com alguns parlamentares presentes em plenário e outros acompanhando de forma online, através do aplicativo zoom.

Da Redação

O plenário da Assembleia Legislativa recebeu nesta manhã de 17 de agosto, em sessão ordinária para se pronunciar no grande expediente, os representantes da associação das batedeiras e da cooperativa de açaí do Estado do Amapá.

A sessão aconteceu de forma híbrida, com alguns parlamentares presentes em plenário e outros acompanhando de forma online, através do aplicativo zoom.

Antônio Alves dos Santos, presidente Associação das Batedeiras de Açaí e Robert, presidente da Cooperativa de Açaí do Amapá, vieram até os parlamentares em busca de apoio, e expuseram suas solicitações.

“Fico feliz por esta oportunidade que nos foi dada nesta Casa. Sabemos que os parlamentares são comprometidos com as demandas que a população apresenta. Queremos pedir que os deputados abracem essa causa, pois o açaí gera muita renda para o estado. Este produto se tornou essencial para o amapaense”, declarou Antônio.

A deputada Cristina Almeida (PSB) informou que recebeu o pedido do ex-senador João Alberto Capiberibe para que os representantes do setor  tivessem a oportunidade de expor aos parlamentares suas reivindicações, e que possam chegar ao conhecimento do governador Waldez Góes.

Segundo informações repassadas pelo presidente da associação das Batedeiras, no Amapá, a exportação de açaí já se apresenta como terceiro item mais importante na geração de divisas para o estado, perdendo atualmente apenas para o ouro e a madeira. No mercado local, o açaí movimenta mais de um bilhão de reais, gerando emprego e renda para milhares de pessoas.

Robert expôs que as necessidades da categoria são: na área de segurança, principalmente no período da noite, nos locais onde acontece a comercialização; a construção definitiva de abrigos de proteção; criar linhas de créditos na AFAP para que as batedeiras possam se adequar as exigências da Lei 1914/2015, que cria o Programa Estadual de Qualidade do Açaí; a construção de um porto adequado para facilitar o desembarque dos frutos de açaí e que possa ser também um ponto turístico; organizar um sistema de coleta dos resíduos do açaí nas batedeiras (caroços) e criar junto a Universidade Estadual do Amapá e outras entidades uma linha de pesquisa para o aproveitamento dos resíduos do açaí.

” As pessoas que trabalham nas feiras são resistentes à tecnologia, ou seja, toda comercialização acontece, na maioria das vezes, com valores em espécie e isto é um grande risco, pois muitos já foram assaltados”, disse Robert.

O deputado Jesus Pontes informou que no último sábado, participou de uma agenda onde foi demonstrada aos empreendedores da rampa do Santa Inês, a planta da construção da feira do açaí, que será feita pelo governo estadual, onde será organizada toda estrutura da parte empreendedora de quem ali está.

O parlamentar disse ainda que estava à disposição para agendar com os secretários, responsáveis pela obra, para que os representantes da categoria possam participar e expor suas demandas.

“Eu me coloco à disposição para fazer essa agenda junto aos secretários para que sejam colocadas todas estas demandas, porque acredito que o governo tem resolvido as problemáticas com diálogo”, disse o deputado Jesus.

Ao final da sessão, os representantes da Associação e da Cooperativa entregaram ao presidente Kaká Barbosa o requerimento com as solicitações a serem encaminhadas ao Governo do Estado.

Publicidade (x)

você pode gostar também

- Publicidade -

Comentários
Carregando...