Gove Header

TCE conhece aplicativo de combate à corrupção e crimes ambientais

O aplicativo foi desenvolvido pelo TCE do Amazonas e adotado como padrão pela Associação dos Membros dos Tribunais de Contas (Atricon) e a Transparência Internacional.

Da Redação

“Sou Eco!”, ferramenta que possibilita aos cidadãos encaminharem diretamente ao Tribunal, denúncias de crimes ambientais ou má prestação de serviços públicos com fotos e possibilidade de georreferenciamento.

O aplicativo foi desenvolvido pelo TCE do Amazonas e adotado como padrão pela Associação dos Membros dos Tribunais de Contas (Atricon) e a Transparência Internacional, entidade internacional de combate à corrupção.
O conselheiro do TCE do Amazonas, Júlio Assis Corrêa Pinheiro, esteve visitando na quinta-feira (10/06) o TCE do Amapá para divulgar o aplicativo. Recepcionado pelo Presidente da Corte e demais membros, Júlio Pinheiro explicou que a região Norte é a primeira a conhecer a ferramenta. “O aplicativo funciona exatamente como intermediador entre a população e o Tribunal. A partir do momento em que nós recebermos a denúncia, nós agiremos naquilo que for a nossa competência. O que não for de nossa competência, com certeza, será encaminhado aos órgãos responsáveis”, explicou o conselheiro.

O auditor do TCE do Amapá, Marcos Cortês, coordenador do grupo de meio ambiente, também participou da reunião. Para ele, a utilização do aplicativo é fundamental para dar um direcionamento na execução das políticas de fiscalização ambiental.

Para o presidente do TCE Amapá, conselheiro Michel Houat Harb, o aplicativo Sou Eco! será uma nova alternativa para aproximar o Tribunal de Contas do cidadão, que é o principal beneficiado e aliado no combate à má aplicação do dinheiro público.

Ele adiantou, ainda, que o TCE Amapá já está em fase de conclusão  do  aplicativo oficial do Tribunal de Contas do Amapá e a ferramenta “TCE nas Escolas”, que deverão ser lançados tão logo a pandemia possibilite. “Cada vez mais estamos aproximando o cidadão da Corte de Contas. A população pode participar ativamente da fiscalização dos recursos públicos, pois mesmo nesta pandemia não paramos de julgar, orientar e planejar”, concluiu Michel Harb.

O aplicativo ECO pode ser baixado gratuitamente para a plataforma correspondente ao seu smartphone. Participaram tambem da reunião o conselheiro Regildo Salomão, a conselheira Maria Elizabeth Picanço, o conselheiro substituto Pedro Aurélio Tavares, a procuradora geral de Contas Rachel Barbalho a chefe de gabinete Renata Padilha, representando o conselheiro Reginaldo Ennes. Uma visita ao tribunal de contas do Amazonas será realizada para assinatura do termo de cooperação.

Publicidade (x)

você pode gostar também

- Publicidade -

Comentários
Carregando...