Gove Header

TJAP e MP-AP recebem doações de materiais de incentivo à leitura na comunidade do Ambrósio

Segundo a promotora de Justiça, na comunidade do Ambrósio a pandemia agravou os obstáculos para o desenvolvimento do gosto e de habilidades de leitura.

Da Redação

O Juizado Especial Cível e Criminal de Santana e o Núcleo de Mediação, Conciliação e Práticas Restaurativas da Promotoria de Justiça de Santana, receberam, na quarta-feira (14), no Complexo Cidadão do MP-AP em Santana, a doação de estantes da empresa privada Amapá Florestal e Celulose (Amcel). Os móveis são para garantir a funcionalidade do projeto “Era uma vez”, realizado pelo TJAP, MP-AP e parceiros, na comunidade do Ambrósio, localizada na área portuária. A ação visa o incentivo à leitura e promoção da educação e cultura na localidade.

As doações foram entregues pela gerente administrativa da Amcel, Heloísa Melém e recebidas pela titular do Juizado Especial Cível e Criminal da Comarca de Santana, juíza Carline Nunes, e pela coordenadora do Núcleo de Conciliação, promotora de Justiça Sílvia Canela.

“Esse projeto, dada a sua seriedade, tem nosso apoio, pois entendemos os benefícios que essa ação trará, já que vai  tirar a criançada do celular e da televisão, e mostrar a leitura não só como acesso ao conhecimento, mas também ao lazer de uma forma barata, divertida e que melhora muito as atividades cognitivas”, frisou Heloísa Melém.

A juíza Carline Nunes destacou a importância do projeto no período em que os educandários estão fechados em razão da Covid-19. “Além de ser essencial oferecer conhecimentos, neste tempo de pandemia que as escolas estão fechadas, a importância dos livros se potencializa, pois o acesso à cultura fica mais difícil. Com esses espaços, acredito que será uma oportunidade de lazer para as crianças”, comentou a juíza.

Segundo a promotora de Justiça, na comunidade do Ambrósio a pandemia agravou os obstáculos para o desenvolvimento do gosto e de habilidades de leitura, pois muitas crianças sequer têm acesso à tecnologia para acompanhar aulas on-line. Somado a este fato, há uma porcentagem considerável de pais analfabetos e/ou desprovidos de práticas de leitura e o único acervo literário é o livro didático.

“Acredito que esse projeto vai ter um impacto muito positivo e os moradores da comunidade estão abraçando o trabalho e se apropriando desta ação. Isso é importante, pois será algo que vai ficar sob o cuidado dos cidadãos do Ambrósio, colocando isso como um valor para as crianças e para as famílias. Estou grata por prestar esse serviço. Tenho certeza que vai ser transformador na vida das pessoas que residem na área. Agradeço as doações de coração”, pontuou a promotora de Justiça.

Parceiros

Amcel; Secretaria Extraordinária da Juventude, pelo Programa Amapá Jovem (Sejuv); Livraria Leitura, DEV Mineração S.A.; Secretaria Municipal de Educação do Município de Santana (SEME); Federação do Comércio do Amapá – Fecomércio/AP, por meio do Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac) e Serviço Social do Comércio (Sesc/AP) e Associação Comunitária da Área Portuária (ACAP).

Sobre o projeto Era uma vez

A ação contará com voluntários e lideranças de dentro e de fora da comunidade do Ambrósio. As pessoas interessadas em fazer parte do projeto, poderão fazer doações de livros infantojuvenis novos e usados que poderão ser entregues na Promotoria de Santana. O objetivo é auxiliar as crianças, na faixa etária de quatro a 12 anos de idade, que residem na localidade, no processo de leitura e escrita, compartilhar princípios e valores da Justiça Restaurativa, desenvolvida há anos pelo NMCPR no bairro, assim como também ofertar círculos de diálogos e contação de histórias para todos os envolvidos.

Os cinco polos contarão com livros, revistas, lápis, pincéis, massa de modelar e papéis, esclarecendo que toda a estrutura está sendo doada pelos parceiros do projeto. Os pais poderão emprestar os livros, se assim desejarem. Esses pontos de cultura funcionarão nos turnos da manhã e tarde ou conforme disponibilidade dos monitores/facilitadores que atuarão voluntariamente.

MP-AP e TJAP firmaram parceria com o programa Amapá Jovem, do Governo do Estado, que colocará monitores para auxiliar as crianças nos polos. Silvia Canela também explicou que, além deles, o projeto contará com facilitadores voluntários. Todas essas pessoas envolvidas no “Era uma vez…” farão cursos de Contação de História, curso que será ofertado pela Fecomércio e de Práticas Circulares, ministrado pela equipe do Ministério Público para o desenvolvimento das atividades do projeto.

“Este é um dos melhores projetos já realizados na comunidade. Tenho ido nas casas e convidado as crianças de quatro a 12 anos de idade, é lindo ver o sorriso no rosto delas, dos pais e responsáveis. Agradeço muito ao MP-AP, TJAP e todos os outros colaboradores por estarem ajudando as crianças e adolescentes do Ambrósio”, relatou Ramon Silva, voluntário do projeto.

Publicidade (x)

você pode gostar também

- Publicidade -

Comentários
Carregando...