Residencial Barcelona

Secretário anuncia saída da Macapá Luz e licitação para 20 anos de iluminação pública

Cleber Barbosa, da Redação

A Prefeitura de Macapá promove uma audiência pública sobre a formalização por 20 anos de uma parceria público-privada que garanta a ampliação e a manutenção permanente da iluminação pública da capital do Amapá. O anúncio foi feito pelo atual secretário da Macapá Luz, Claudiomar Rosa, que também confirmou ser essa sua última missão à frente da pasta, pois terá que renunciar ao cargo no próximo mês, para cumprir prazo legal da regra de desincompatibilização da Justiça Eleitoral.
Claudiomar concedeu entrevista ao programa Café com Notícia, na rádio Diário FM (90,9), quando aproveitou não apenas para fazer um pequeno balanço de sua gestão como convidar a comunidade em geral para uma audiência pública no próximo dia 29, às 8 horas da manhã, no auditório da Universidade do Estado do Amapá (UEAP).
A audiência servirá para cumprir o rito do certame licitatório que vai conceder por 20 anos a realização dos serviços de iluminação pública de Macapá, num formato inovador de PPP, Parceria Público Privada. “Essa audiência será para debater com agentes públicos e comunitários, como também o meio acadêmico, para transparecer, mostrar e esclarecer o objetivo real dessa parceria público-privada”, disse o secretário.
Ele também informou que na audiência, além da comunidade em geral, empresas interessadas e o interveniente financeiro estará presente, o BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social). “Trata-se de uma entidade muito respeitada, de muita seriedade e que foi escolhida também pela forma com que trata desde o princípio, o meio e o fim das parcerias, então tenho certeza que as quatro empresas que forem contratadas, para o georreferenciamento, a organização, o levantamento de dados e as equipes técnicas farão um excelente trabalho”, disse Claudiomar.

Números
Em tom de despedida, o titular da Macapá Luz disse que quando assumiu a coordenação da estatal, a cidade apresentada um déficit de aproximadamente 70% de cobertura na iluminação pública. Hoje, disse, o percentual de luminárias recuperadas é da ordem de 80% a 85%, mesmo diante dos problemas diários com o fornecimento irregular de energia elétrica, dada a precariedade da rede de distribuição.
Por fim, ele reforçou a importância do modelo escolhido para garantir a ampliação da cobertura da iluminação pública da capital. “A PPP foi o caminho escolhido pela gestão para a gente turbinar, melhorar mais ainda, dar uma qualidade e uma vida útil de longo prazo de vinte anos, então a empresa ou o consórcio que vencer essa licitação terá a oportunidade de manter uma iluminação que em dois anos a gente pretende deixar toda em LED, com iluminação artística para o rio, os pontos turísticos, a modernização da cidade e as obras estruturantes”, destaca Claudiomar Rosa.

- Publicidade -

- Publicidade -

você pode gostar também

- Publicidade -

Comentários
Carregando...