Gove Header

“Precisamos proteger nossas crianças”, diz presidente do tribunal do Amapá

Desembargador Rommel Araújo vai ao rádio falar da programação Maio Laranja, voltada à proteção, prevenção e combate à exploração sexual de menores.

Cleber Barbosa, da Redação

O presidente do Tribunal de Justiça do Amapá (TJAP), desembargador Rommel Araújo, falou neste sábado (08) sobre a programação pelo Dia nacional de combate ao abuso a exploração sexual de crianças e adolescentes, que transcorre em 18 de maio, mas que motivou o Judiciário criar o mês temático Maio Laranja. O magistrado foi entrevistado pela equipe do programa Togas&Becas, na Diário FM (90,9).

Ele explicou que foi definido o tema “Não deixe quem você ama ser a próxima vítima”, e que a campanha Maio Laranja tem o objetivo de dedicar o mês inteiro para conscientização, orientação e prevenção aos crimes sexuais contra crianças e adolescentes. “Essa campanha foi uma iniciativa da doutora Larissa Antunes, juíza da infância e juventude de Santana, que nos procurou e não só foi abraçada pelo Tribunal para aquela comarca, mas se estenderá por todo o estado do Amapá, sob a coordenação dessa magistrada”, disse ele.

A campanha conta com uma rede de apoiadores, entre órgãos públicos, entidades civis e autoridades policiais brasileiras e francesas. Serão realizadas, durante o mês, diversas ações de combate ao Abuso e Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes, em todo o estado e na região fronteiriça entre Brasil e Guiana Francesa.

 

“Devido termos uma região ribeirinha muito grande tomamos conhecimento de iniciação sexual muito precoce e às vezes forçada de crianças e adolescentes, além da fragilidade da fronteira em Oiapoque”, disse Rommel Araújo.

Símbolo da Campanha

Como símbolo da campanha foi escolhido o pássaro conhecido como Galo da Serra (rupicola rupicola), uma ave de cor alaranjada que vive solitário na região amazônica, assim como também são as crianças que vivem sob o medo e vergonha de uma culpa que não é delas. “Vamos transformar um pássaro que vive solitário em um símbolo de luta, de que não podemos deixar nossas crianças perderem o direito fundamental de terem uma infância saudável, livre de qualquer tipo de violência”, explicou o desembargador Rommel Araújo.

Fronteira

É preocupante o número de casos relativos à exploração infantil nas áreas transfronteiriças. Assim, uma das frentes de trabalho da campanha Maio Laranja – Não deixe quem você ama ser a próxima vítima, terá como foco a divisa entre Brasil e Guiana Francesa. A juíza Fabiana Oliveira, titular na Comarca de Oiapoque, esteve liderando a mobilização de entidades brasileiras no município e da Guiana, para uma cooperação capaz de conter de forma eficaz os crimes contra crianças e adolescentes.

Escolas

Outro fator determinante para o tratamento do tema é imprescindível a participação das escolas na abordagem e identificação de possíveis casos de exploração e abusos. “Estamos abrindo também a parceria com as secretarias de educação, pois é preciso ampliar o debate no ambiente escolar, com abordagens didáticas sobre este tema tão delicado”, disse a juíza Larissa Antunes.

Ações integradas

Com campanhas nas redes sociais, atividades de prevenção, iluminação de prédios públicos na cor laranja, dentre outros, durante todo o mês de maio, o ponto alto da campanha ocorrerá em 18 de maio que é o Dia Nacional de Enfrentamento ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes. A data foi instituída em 1988, em referência ao crime ocorrido no dia 18 de maio de 1973, quando Araceli Crespo, de 8 anos foi sequestrada, drogada, espancada, violentada e morta.

Publicidade (x)

você pode gostar também

- Publicidade -

Comentários
Carregando...