GOVERNO JUNTO COM A GENTE INFORME 4

Pesquisador explica o “DNA” do novo Coronavírus em debate sobre ciência no rádio

Ele esclarece que se chama RNA o material genético do Covid-19, onde se armazenam as informações sobre ele, como qualquer pessoa possui e são pesquisadas.

Cleber Barbosa, da Redação

Emerson Castilho é Biólogo, que possui doutorado na USP e pós-doutorado na Espanha, professor do colegiado de Medicina e dos mestrados em Ciências da Saúde e Ciências Ambientais na UNIFAP foi outro pesquisador local convidado a participar da rodada de entrevistas denominada “Rodada Científica”, produzido pelo programa Café com Notícia, da rádio Diário FM (90,9). Ele esclareceu sobre se chamar RNA o material genético de alguns vírus, como o Covid-19, e não DNA como a maioria dos seres vivos – entre eles os humanos.

Ele explicou que o material genético é onde ficam armazenadas as informações sobre o que o novo Coronavírus vai fazer ou deixar de fazer. “A expressão DNA ficou famosa depois que aquele famoso apresentador levou o teste de paternidade para a televisão, mas o Covid-19 tem RNA, que contém todas as informações de como ele vai sobreviver no nosso organismo, por exemplo, então tem informações extremamente importantes ali que podem inclusive ser alvo de desenvolvimento de novos fármacos, que são remédios para o tratamento da doença”, disse ele.

Questionado pela equipe do programa sobre como como a comunidade médica que hoje atua na linha de frente da pandemia está se apropriando dessas informações, ele declarou que o RNA do Covid-19 é detectado em todos os exames, como o principal exame de detecção do vírus, chamado de padrão ouro, não só pelo Ministério da Saúde como pela Organização Mundial de Saúde.

Para isso, diz, é utilizada uma sigla que também está ficando famosa, a RT-PCR, que é um teste que na realidade faz a detecção justamente do RNA do vírus. “É um teste molecular, onde é possível a gente detectar a molécula do vírus, como nos ensaios para se saber se as bancadas estão contaminadas ou quando um paciente deixa um quarto de hospital e aquele leito precisa ser higienizado, então uma das maneiras para se saber se isso foi bem feito é justamente coletar o material, como naqueles filmes de ficção científica que mostram os as pessoas coletando DNA com aquela haste de algodão que parece um cotonete, mas que a gente chama de swab”, detalha.

Muitas outras questões relevantes foram levantadas durante o debate, como as mutações que o Covid-19 podem sofrer, aspectos que envolvem a monitoração de casos e esclarecimentos interessantes. O conteúdo completo pode ser conferido nas plataformas digitais do Sistema Diário de Comunicação e ainda nas redes sociais do programa apresentado pelos jornalistas Ana Girlene Oliveira e Rodrigo Silva.

O pesquisador também fez elogios à iniciativa de promover um debate científico pelas ondas do rádio. “Eu agradeço o convite para participar dessa iniciativa e poder de alguma forma contribuir para fazer o esclarecimento e de alguma forma trazer algumas informações importantes para a população amapaense”, concluiu.

Publicidade (x)

você pode gostar também

- Publicidade -

Comentários
Carregando...