Operação Pedágio da PF apura desvios em obras de rodovias no Amapá

A Polícia Federal deflagrou nesta quinta-feira (27) a Operação Pedágio, para desarticular organização criminosa que pratica corrupção em obras de rodovias executadas pelo Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT/AP) no estado do Amapá.

Na ação, decorrente de trabalho em conjunto com o Ministério Público Federal, 28 policiais federais dão cumprimento a dois mandados de prisão preventiva e sete mandados de busca e apreensão em Macapá/AP, além do bloqueio judicial de R$ 22 milhões em patrimônio dos investigados. Nas buscas foram apreendidos seis carros de luxo e mais de R$ 60 mil em espécie.

Segundo as investigações, os servidores de alto escalão cobravam propina de empresários para agilizar a liberação de pagamentos e atestar a regularidade das obras relacionadas a contratos de manutenção de estradas não pavimentadas no estado do Amapá.

Apurou-se que, pelo esquema, que ocorre desde de 2015, os referidos servidores cobravam de 3% a 5% do valor das faturas para realizar a liquidação das mesmas, bem como que havia a cobrança de cerca de 1% do valor de todas faturas para atestar a regularidade das obras, mesmo que sem a efetiva fiscalização do órgão.

Os investigados responderão, na medida de sua responsabilidade, pelos crimes de corrupção passiva, organização criminosa e lavagem de dinheiro. Se condenados, poderão cumprir pena de até 30 anos de reclusão.

Batismo

O nome da Operação Pedágio é uma referência ao direito de passagem retribuído por taxa cobrada pelo Poder Público para ressarcir-se de investimentos feitos na construção ou conservação de via de transporte terrestre.

 

- Publicidade -

- Publicidade -

você pode gostar também

- Publicidade -

Comentários
Carregando...