Gove Header

Novo desembargador diz ter o entusiasmo do juiz no início da carreira

Mário Mazurek é empossado para preencher lacuna deixada pela aposentadoria da desembargadora Sueli Pini no Tribunal de Justiça do Amapá.

Da Redação

O Plenário do Tribunal de Justiça do Estado do Amapá (TJAP) foi palco, na manhã desta segunda-feira (02), da Sessão Extraordinária e Solene, que deu posse ao mais novo membro da Corte, o desembargador Mário Mazurek. O evento foi realizado em formato misto (presencial e remoto), com número limitado de participantes e transmissão ao vivo pelos canais oficiais do TJAP no YouTube e no Facebook. A cerimônia concretizou a aclamação do magistrado para promoção ao cargo de desembargador pelo critério de antiguidade, escolha realizada na Sessão Administrativa do dia 28 de julho, que passa a ocupar o cargo que ficou vago em virtude da aposentadoria voluntária da desembargadora Sueli Pini.

O desembargador Carmo Antônio de Souza proferiu a mensagem de boas vindas ao novo desembargador. “Marcante com seu porte de nobre, educação refinada, extremamente atencioso e dedicado em tudo o que faz; chamado carinhosamente por seus colegas de Conde, devido à sua imponente estatura e ar fidalgo, característica que logo chama a atenção nos locais onde está; dono de voz tranquila e forte sotaque sulista, personalidade cativante e discreta. São tantas e especiais características que se somam ao seu generoso coração. Ao belo espírito resoluto que indicam trajetória de vida voltada para servir, ajudar, cooperar, auxiliar e aconselhar. Assim temos uma pequena faceta desse dedicado e sábio magistrado”, declarou o magistrado.

O desembargador-presidente Rommel Araújo registrou e exaltou a presença de dois ex-presidentes do TJAP, os desembargadores aposentados Mário Gurtyev e Luiz Carlos Gomes dos Santos, “uma demonstração da harmonia, continuidade e estabilidade deste Tribunal em 30 anos de Justiça”.

O chefe do Poder Judiciário dirigiu-se ao mais novo membro da Corte, ressaltando que “é uma honra tê-lo entre nós, desembargador Mário Mazurek, uma pessoa de origem humilde e que lutou para conquistar seus espaços”, asseverou.

“Cada vez que ouço o juramento feito por um magistrado, renovo o que fiz em 1991 e vejo que muito temos ainda a oferecer à sociedade, e o desembargador Mário Mazurek chega oferecendo ao 2º Grau do TJAP esse olhar fraterno, serenidade, tranquilidade e leveza”, complementou.

O governador Waldez Góes declarou que os 30 anos de carreira do novo desembargador se confundem com a história dos 30 anos da instalação do Poder Judiciário do Amapá, assim como se confundem com a própria história do Amapá como unidade federada independente. “Outro dia participava de uma cerimônia de inauguração de uma obra que homenageou o desembargador Eduardo Contreras, na qual avaliaram os 30 anos de história do TJAP e projetavam, planos para as próximas três décadas”, registrou.

“Que bom que a Justiça do Amapá pôde contar com sua contribuição nos últimos 30 anos e poderá contar agora nessa próxima etapa, integrando o 2º Grau de jurisdição, cumprindo um novo papel”, comemorou o governador, acrescentando que “o Amapá inteiro é grato por tê-lo como um prestador de serviços ao jurisdicionado”.

O desembargador empossado Mário Mazurek registrou, em primeiro lugar, os agradecimentos: “primeiramente a Deus, pela graça recebida, além da minha família, esposa Naira, meu filho Carlos Eduardo, minha filha Rayza, que está assistindo lá na Europa, e minha cunhada Leida Maria Valois, pelo apoio que sempre me prestaram – sem vocês eu não estaria aqui”.

Agradecendo ainda aos desembargadores que o escolheram, pela confiança depositada, o magistrado aproveitou o ensejo para fazer uma reverência aos seus pais, “Carlos Aloysio e Hedwiges, que lá de cima estão me abençoando e que me deram bons conselhos e exemplos que carrego comigo por toda vida”.

“Minha homenagem especial ao desembargador Mário Gurtyev, primeiro ocupante e patrono do gabinete que hora passo a ocupar, depois sucedido pela desembargadora Sueli Pini, o desembargador Dôglas Evangelista, primeiro presidente deste Tribunal e símbolo da Justiça do Amapá”, registrou.

Ressaltou a ausência de alguns amigos que a pandemia retirou de nosso convívio. “Que Deus os coloque em bom lugar que conforte os corações de seus familiares”, declarou. “Venho com o mesmo entusiasmo de quando tomei posse na magistratura amapaense, no já longínquo 05 de outubro de 1991, porém, com a experiência acumulada nesses muitos anos de magistratura, atuando nas mais diversas áreas do direito”, garantiu o desembargador Mário Mazurek.

Aprovado no primeiro concurso da magistratura amapaense, o juiz Mário Mazurek foi empossado no ano de 1991 e já no primeiro mês era titularizado na comarca de Laranjal do Jari, onde ficaria até maio de 1992. De lá, veio para Macapá, onde exerceu a função de juiz auxiliar e assumiu, logo depois, a titularidade da 1ª Vara Criminal, para ser removido, a pedido, em 2003 para a 2ª Vara Cível e de Fazenda Pública da Comarca de Macapá. Atualmente o magistrado exercia a titularidade do Gabinete Recursal 01, da Turma Recursal dos Juizados Especiais.

A Mesa de Honra foi composta pelo desembargador-presidente Rommel Araújo; desembargador vice-presidente Carlos Tork; desembargador decano Gilberto Pinheiro; desembargador Carmo Antônio de Souza; desembargador João Lages; desembargador Adão Carvalho; e desembargador Jayme Ferreira. Também integraram a mesa o governador do estado do Amapá, Waldez Góes; o senador da República, Davi Alcolumbre; o presidente da Assembleia Legislativa do Estado do Amapá, deputado Kaká Barbosa; e a procuradora-geral de Justiça do Ministério Público do Estado do Amapá, Ivana Cei.

Na extensão da mesa de honra para os assentos na plateia, para cumprimento do distanciamento social, também estiveram presentes: prefeito de Macapá, Antonio Furlan; o Defensor-Geral do estado, Diogo Grunho; o presidente da Ordem dos Advogados do Brasil – Secção Amapá, Auriney Brito; a vice-presidente para Assuntos Legislativos da Associação dos Magistrados Brasileiros – AMB, juíza Elayne Cantuária; o presidente da Associação dos Magistrados do Amapá, juiz José Bonifácio; a presidente do Sindicato dos Serventuários da Justiça do Estado do Amapá, Anne Marques (virtual); e o presidente do Sindicato dos Oficiais de Justiça do Amapá, Geraldo Majela.

Publicidade (x)

você pode gostar também

- Publicidade -

Comentários
Carregando...