Gove Header

MP-AP realiza encerramento do curso de Práticas Restaurativas em Santana

O Ministério Público do Estado do Amapá (MP-AP), por meio do Núcleo de Mediação, Conciliação e Práticas Restaurativas, que é coordenado pela promotora de Justiça Sílvia Canela, realizou na tarde desta sexta-feira (22), encerramento do curso de Práticas Restaurativas que tem o propósito de promover a cultura da paz. A programação ocorreu na Escola Estadual Professor Afonso Arinos, localizada na área portuária de Santana. Na ocasião foram entregues certificação aos participantes.

A programação foi realizada em parceria com o Tribunal de Justiça do Estado (Tjap), empresa Amapá Celulose S.A. (Amcel), Distribuidora Experiência, empresa O Moinho, Panificadora Pão de Mel e Menino Jesus. A capacitação foi realizada na Sala Unbutu (sou porque nós somos), espaço doado pelo Projeto Comunidade Restaurativa promovido pelo Tjap. A duração do curso foi de uma semana com carga horária de 20h.

A juíza Carline Negreiros, titular do Juizado Cível e Criminal de Santana, ressaltou a relevância da parceria realizada com o MP-AP para proporcionar a comunidade da área portuária os ensinamentos restaurativos. “Quero agradecer a equipe do Ministério Público, sem eles não seria possível efetuar a logística para a realização desse curso”.

Ao longo da programação de encerramento foram realizadas dinâmicas com finalidade de praticar o que foi ensinado durante a semana de qualificação. Também foi abordado o tema “Constelações Sistêmicas Familiares”, o qual visa demonstrar o entendimento do contexto familiar para melhorar o relacionamento entre as pessoas.

A mediadora e psicóloga Dionária Mota durante sua explanação explicou essas características que são herdadas pelos pais, que na maioria das vezes podem ser prejudiciais para o convívio em sociedade. Ela destacou por meio de suas vivências como deve ser quebrado esse sistema: “inconscientemente nós somos leais ao nosso sistema, são comportamentos que repetimos. Então quando vou andar para frente se eu não estiver alinhado com aquilo que estou fazendo, corro o risco de auto sabotagem”.

A promotora de Justiça do MP-AP, Sílvia Canela, aproveitou o momento para explanar sobre a importância da realização do curso para apresentar aos participantes novos caminhos para uma vida de qualidade: “Nós estamos levando para a comunidade ferramentas para que as pessoas possam buscar a solução dos seus problemas. Construir na comunidade o senso de pertencimento e despertar dentro de si o empoderamento. Isso contribui para que os moradores da região tenham a consciência de que eles são protagonistas da própria história”, pontuou a promotora de Justiça.

 

você pode gostar também

- Publicidade -

Comentários
Carregando...