- Publicidade -

- Publicidade -

Guaracy: “Se a direita não se unir a Damaris concorre ao Senado pelo Amapá”

Postulante ao cargo de senador, líder evangélico prega que se os conservadores saírem separados aumentam as chances de reeleição de Alcolumbre.

Cleber Barbosa, da Redação

Embora as notícias sobre uma possível candidatura da ministra Damares Alves (Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos) tenham sido tratadas como mera especulação, seguida de brincadeira de mau gosto nas redes sociais, para uma liderança amapaense a proposta existe de fato. Trata-se de pastor Guaracy Júnior, que é pré-candidato a senador e que vê essa possibilidade caso a direita não se una no Amapá.
Falando à reportagem, por telefone, o líder da Igreja Quadrangular disse que as frentes de direita vindo esfaceladas para a disputa das eleições de outubro facilitariam as chances de uma eventual reeleição de Davi Alcolumbre (DEM/AP). “Se a direita não se unir poderemos sim ter a ministra Damares concorrendo pelo estado, uma alternativa do presidente Bolsonaro para disputar a eleição do Senado”, afirmou Guaracy.
Para ele, embora tenha havido um desmentido informal sobre essa possibilidade, após a repercussão de uma brincadeira da ministra sobre indígenas no Amapá, o tema realmente já foi tratado pela cúpula bolsonarista. “A ministra é uma grande liderança nacional, tanto que outros estados já anunciaram o desejo de tê-la disputando a eleição à senadora, então para o Amapá também seria uma boa opção caso não se tenha consenso em torno de um nome por aqui”, disse ele.
O próprio Bolsonaro falou sobre o assunto em entrevista recente no rádio. Ele lembrou que chegou a dizer a Damares sobre o quanto desejaria vê-la disputando uma eleição para ser senadora. Ele chegou a emplacar o nome de um dos auxiliares diletos, o ministro da Infraestrutura Tarcísio Freitas, que deverá concorrer também ao Senado Feeral, só que por São Paulo. Diante da proposta do chefe, Damares postou no Twitter; “Amo meus indiozinhos do Amapá”, o que ganhou outra interpretação de opositores – atribuindo a definição como se fossem os eleitores do Amapá.

Perfil de Damares

Damares Cristina Alves é advogada, pastora evangélica e politica brasileira, atual ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos do governo brasileiro. Natural de Paranaguá, no Paraná, mudou-se para o Nordeste ainda criança devido à atividade do pai de pastor evangélico. Damares também se tornou pastora e ministrou cultos na Igreja do Evangelho Quadrangular e da Igreja Batista da Lagoinha. Formou-se em direito pela FADISC (Faculdades Integradas de São Carlos) em São Carlos, no interior de São Paulo, onde também trabalhou na Secretaria Municipal de Turismo. Posteriormente, foi para Brasília para trabalhar como assessora parlamentar, trabalhando com vários parlamentares que compõem a bancada evangélica. Também atuou como assessora jurídica da Câmara dos Deputados por mais de vinte anos. Foi convidada para o Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos por Jair Bolsonaro em dezembro de 2018.

Publicidade (x)

você pode gostar também

- Publicidade -

Comentários
Carregando...