Governo e Opas buscam ampliar parcerias para fortalecer assistência em saúde no Amapá

Representantes da Organização Pan-Americana de Saúde cumprem agenda no estado até sexta-feira, 9.

Da Redação

Nesta terça-feira, 6, o governador, Waldez Góes e representantes da Organização Pan-Americana de Saúde (Opas) abordaram a ampliação de parcerias entre o Estado e a entidade para o fortalecimento das estratégias de vigilância e assistência em saúde no Amapá.

A comitiva cumpre agenda no estado até sexta-feira, 9. Nesse período, deve reunir com prefeitos e visitar o município de Oiapoque, onde fica a fronteira do Brasil com a França.

Waldez ressaltou que a parceria é de longa data e citou como exemplo o esforço conjunto no enfrentamento à covid-19.

“Queremos aumentar nossa parceria, seja em vigilância ou assistência em saúde, durante e após a pandemia. Estamos à disposição para fortalecer esse trabalho em conjunto”, ressaltou o governador.

Gestores da Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) e da Superintendência de Vigilância em Saúde (SVS) participaram do encontro e destacaram os temas de emergências em saúde pública nas ações de prevenção e controle de doenças como covid-19, sarampo e influenza.

Um dos destaques foi o projeto do Centro Binacional de Vigilância e Respostas Epidemiológicas Transfronteiriça, que permitirá a troca de conhecimentos entre profissionais franceses e brasileiros.

Maria Almiron é coordenadora de Vigilância, Preparação e Resposta a Emergências e Desastres da Opas e da Organização Mundial da Saúde no Brasil (OMS).

Ela ressalta que a intenção é traçar planos de curto, médio e longo prazo, realizando treinamentos, contratação de mais recursos humanos e estruturação de lugares físicos e unidades móveis de vigilância e assistência à saúde.

“Nossa agenda vai até Oiapoque para dar toda a atenção para vigilância e assistência, em todos os municípios, e com prioridade para a fronteira. Com a troca de informações, podemos evitar surtos e resolver as demandas de emergência”, disse.

O consultor nacional na Unidade Técnica de Vigilância na Opas, Rodrigo Frutuoso, falou sobre a necessidade de troca de informações entre os territórios na fronteira.

“Entendemos a importância da sala binacional, sendo esse um dos intuitos da nossa visita no Estado, pois vamos prestar o apoio no desenvolvimento, pela importância estratégica, da troca de informações e de conhecimento de saúde nos dois territórios”, afirmou.

Maria Almerion ressaltou que, após a agenda, será o momento de tomar decisões.

“É importante para seguir com o treinamento na área de vigilância e assistência, além de dar apoio com contratação de recursos humanos e garantir a aquisição dos equipamentos para unidades físicas e móveis”, concluiu a representante da Opas.

Publicidade (x)

você pode gostar também

- Publicidade -

Comentários
Carregando...