Gove Header

Governo do Amapá implanta Sala de Situação para monitorar casos suspeitos da Síndrome de Haff

Até o momento, quatro casos são tratados como suspeitos e estão sob investigação clínica conduzida pelo Lacen.

Da Redação

O Governo do Amapá implantou, nesta quarta-feira, 7, uma Sala de Situação para monitoramento e rastreio de casos suspeitos da Síndrome de Haff no estado. A patologia é popularmente conhecida como doença da urina preta.

A ação preventiva foi implementada a partir da notificação de quatro casos suspeitos no município de Santana, após o consumo de peixe da espécie pacu comprados em Santana, porém com origem na cidade de Santarém, no Pará, onde há casos suspeitos da doença.

Além das medidas sanitárias e de assistência em saúde, a equipe de profissionais da Sala de Situação fará estudo de medidas para minimizar impactos econômicos na cadeia produtiva do pescado.

O superintendente de Vigilância em Saúde (SVS), Dorinaldo Malafaia, reforçou que o Estado está adotando todas as medidas de monitoramento da doença no Amapá.

“É uma ação integrada do Governo para manter a saúde sanitária e, ao mesmo tempo, preservar a saúde econômica, especialmente, do setor pesqueiro”, informou Malafaia.

Malafaia também orienta que, de forma preventiva, a população deve evitar o consumo da espécie pacu, dando preferência para outros tipos.

Ele alerta para que o consumidor observe se o pescado está armazenado de forma incorreta como, por exemplo, exposto ao ar livre e fora de um ambiente com gelo.

Em caso de sintomas como, urina escura, febre, falta de ar, dor muscular após o consumo de peixe, o cidadão deve procurar atendimento médico em unidades de urgência e emergência para tratamento e investigação da doença.

Em outra frente, o Governo do Estado também intensificará as fiscalizações de pescado nas feiras e portos, com barreiras sanitárias para verificar a origem do pescado e se o armazenamento é feito de forma correta.

Sobre os casos suspeitos

Dos quatro casos, três estão hospitalizados no Hospital de Santana, sendo um homem e uma mulher, ambos com 58 anos e naturais do município de Afuá, no Pará.

Eles apresentaram sintomas 12h após o consumo de peixe. Há ainda uma mulher de 66 anos. A outra paciente é uma mulher de 44 anos, que está em observação no Hospital de Emergências em Macapá. Os quatro pacientes são monitorados e estão com o quadro clínico estável.

Todos deram entrada, inicialmente, na unidade hospitalar de Santana e aguardam conclusão da investigação laboratorial para fechamento do diagnóstico, nenhum caso é conclusivo já que os sintomas se assemelham a outras doenças, como Chagas, hepatite e leptospirose.

As quatro pessoas apresentam sintomas característicos da Síndrome de Haff. Além disso, o quadro clínico, a análise laboratorial, e o local onde o peixe foi adquirido apontam para a doença.

Sobre a doença

A Síndrome de Haff é uma patologia rara que apresenta sintomas como a urina preta, falta de ar, dor e rigidez muscular, dormência, falta de ar e urina preta, semelhante a café. Não há transmissão de pessoa para pessoa. O tratamento é feito com hidratação.

Publicidade (x)

você pode gostar também

- Publicidade -

Comentários
Carregando...