Gove Header

Em 29 dias de 2020, Brasil registra 26 pessoas trans assassinadas, diz especialista

Especialista da Coordenadoria de Vigilância em Saúde do Amapá faz um alerta sobre a falta de visibilidade e até discriminação na rede pública

Cleber Barbosa, da Redação

Neste dia 29 de janeiro é o Dia Nacional da Visibilidade Trans, portanto uma data para reflexões e conscientizações, mas a data acaba por registrar a triste constatação de que essa população continua sendo vítima de violência e intolerância. Ivon Cardoso, técnico da Superintendência de Vigilância em Saúde, foi ao programa LuizMeloEntrevista na rádio Diário FM (90,9), falar do evento e disse que antes de fechar o primeiro mês do ano, quase trinta pessoas trans foram assassinadas no país.
Ele disse que infelizmente todos os dias no Brasil travestis e pessoas transsexuais sofrem preconceito ou discriminação em função de sua identidade de gênero. “Esse dia foi instituído porque pela primeira vez, a nível institucional, a nível de governo, foi lançada uma campanha denominada Travesti é Respeito, cujo objetivo era o resgate da cidadania e o respeito entre as pessoas, foi o primeiro ato nacional organizado pelo próprio segmento de trans”, explica o coordenador.
Invisíveis

Ivon Cardoso, especialista e ativista social, atua na Coordenadoria de Vigilância em Saúde do Amapá | Foto: Joelson Palheta

Para ele, apesar dos avanços, trata-se de uma população ainda invisível, que não está no cotidiano das pessoas, pois é muito difícil durante o dia você visualizar uma travesti ou uma transsexual ou mesmo um homem trans. “Muitas das vezes até se visualize, só que talvez não se identifiquem como pessoa trans, e por conta disso a Superintendência de Vigilância em Saúde irá promover uma oficina de capacitação para os profissionais da área da saúde”, anunciou Ivon.
O evento acontece na próxima quinta-feira, às 8 horas da manhã, no auditório da CVS, com o objetivo de debater o acesso dessa população aos diversos serviços de saúde da rede pública. Para Ivon Cardoso, esse atendimento precisa ser melhorado especialmente para essa população trans.

você pode gostar também

- Publicidade -

Comentários
Carregando...