- Publicidade -

Deputada cobra inauguração de maternidade e secretário de saúde confirma nova data

Em um debate no rádio, Cristina Almeida (PSB) e Juan Mendes (SESA) falam sobre os riscos de contágio do Covid-19 na Maternidade Mãe Luzia.

Cleber Barbosa, da Redação

A deputada estadual Cristina Almeida (PSB/AP) e o secretário de saúde do Estado, Juan Mendes (SESA), protagonizaram um debate no rádio sobre o combate ao novo Coronavírus na Maternidade Mãe Luzia e a necessidade de ser logo inaugurada a Maternidade Bem Nascer, na zona norte de Macapá. Ela visitou o local com a Comissão da Covid do Parlamento Estadual e ele disse que no mais tardar em março a nova unidade estará sendo entregue à população.

Cristina Almeida disse ter ido com os demais integrantes deste colegiado à materinidade no começo do ano. “No mês de janeiro tivemos 7 crianças com COVID na maternidade, mas o mais grave é o aglomerado de pessoas na frente à Mãe Luiza, com sacolas, porque o acompanhante não pode entrar e ficam lá fora sem notícias. A estrutura não está adequada para receber mães e bebês”, disse a deputada.

Ela acrescentou que a maternidade também está há mais de um ano sem o teste do pezinho. “Não temos sala de recuperação pós-anestesia. Há relatos de 3 mães dividindo macas, leitos danificados além da mortalidade infantil. Não há dados oficiais, mas já tivemos 12 mortes de recém-nascidos esse ano”, diz a parlamentar socialista.

Contraponto

Já o titular da SESA elogiou a conduta da deputada e a ação diligente de seu mandato, mas esclareceu que esses procedimentos adotados na maternidade são também um protocolo chancelado para ajudar no combate à proliferação do Covid-19. “Nós realizamos na maternidade central uma média de 1,1 mil partos por mês, ela recebe a maior demanda obstétrica do estado, mas é até paradoxal falar em aglomeração, pois essa medida visa exatamente interromper a cadeia de contaminação dentro daquele hospital ao segurar a presença do acompanhante”, disse o gestor.

Por fim, ele disse que estão sendo ultimados os preparativos para a entrega da obra da nova maternidade na zona norte da cidade, que deverá desafogar numa escala de 60% a demanda atual na Mãe Luzia. Ele também acatou a sugestão da deputada em implementar ainda mais rigor no controle de acesso àquele hospital, bem como no distanciamento dos familiares que permanecem no lado de fora da unidade hospitalar.

Publicidade (x)

você pode gostar também

- Publicidade -

Comentários
Carregando...