Gove Header

Curso de Práticas de Justiça Restaurativa é realizado pelo MP-AP e parceiros

A atividade é desenvolvida pelo Núcleo de Mediação, Conciliação e Práticas Restaurativas da Promotoria de Santana em parceria com o Tribunal de Justiça do Amapá (Tjap), Defensoria Pública e Município de Santana.

Da Redação

O Ministério Público do Amapá (MP-AP), por meio da Procuradoria-Geral de Justiça e Centro de Estudos e Aperfeiçoamento Funcional (CEAF), realizou na tarde desta terça-feira (24), a abertura do curso em Práticas de Justiça Restaurativa. A atividade é desenvolvida pelo Núcleo de Mediação, Conciliação e Práticas Restaurativas da Promotoria de Santana em parceria com o Tribunal de Justiça do Amapá (Tjap), Defensoria Pública e Município de Santana, de forma remota, com duração de 7 dias, carga horária: 40h, sendo 20h de aulas síncronas pelo Zoom e 20h no EDUC- (plataforma de ambiente de ensino a distância do MP-AP).

Na apresentação, a mediadora do Núcleo, Lucivane Gonçalves, explicou que o curso tem como objetivo a formação de facilitadores, gestores e outros agentes que compõem a Rede Socioassistencial e Defensoria Pública do município de Santana, para utilização das ferramentas, baseadas em diálogos para tratar de conflitos familiares e sociais.

A procuradora de Justiça e coordenadora do CEAF, Socorro Milhomem, fez a abertura do evento, parabenizando pela iniciativa e explanou sobre a importância da resolução dos problemas através da conciliação articulada pela mediação.

“Parabenizo o trabalho realizado por meio da promotora Silvia Canela, que é uma batalhadora nesta questão de formar pessoas e que tem recebido um resultado muito grande, por isso a cumprimento pelo empenho e dedicação. É um evento muito importante, pois não temos interesse em conflitos, queremos que os problemas sejam resolvidos, visto que, quando o judiciário decide uma causa, ele decide o processo, que na maioria das vezes, não põe fim ao conflito, e essa vontade de resolver as divergências para buscar o entendimento entre as pessoas, realmente, é a melhor forma para resolvê-los.”, assegurou

A promotora de Justiça e coordenadora do NMCPR, Sílvia Canela, destacou a relevância de difundir a temática. “Sempre acreditei que a gente precisa viver verdadeiramente o espirito da colaboração e da cooperação. O MP-AP e o judiciário não fazem nada sozinhos, se todos nós nos unirmos e dermos as mãos, vamos contribuir melhor para que cada um possa alcançar o objetivo que tem, enquanto instituição”, destacou a promotora.

As atividades foram conduzidas pela facilitadora do Núcleo, Obédi dos Anjos, que iniciou o curso com uma dinâmica de círculo virtual, com o objetivo de construir as diretrizes e valores que nortearão o andamento do curso.

O evento de abertura contou com as participações da juíza da Vara da Infância e Juventude de Santana, Larissa Antunes; da representante da Defensoria Pública de Santana, Nicole Lima; Secretaria de Assistência Social de Santana, Maria Cláudia Maciel; e a mediadora Lucineide Santos.

Participam da formação, servidores e membros da instituição, bem como integrantes da rede socioassistencial de Santana.

Publicidade (x)

você pode gostar também

- Publicidade -

Comentários
Carregando...