Gove Header

Companhia de Transporte vai às ruas fiscalizar volta integral da frota de ônibus

Dirigente da CTMAC diz em entrevista no rádio que oferta de coletivos precisa acompanhar retomada das atividades econômicas.

Cleber Barbosa, da Redação

A nova presidente da Companhia de Trânsito e Transporte de Macapá (CTMAC), Selma Miranda, foi ao programa Café com Notícia desta segunda-feira (15), na rádio Diário FM (90,9) falou sobre como as empresas de ônibus deverão acompanhar a reabertura de parte do comércio local a partir desta terça-feira (15). A ordem é devolver às ruas a totalidade da frota guardada desde o início das medidas de distanciamento social.

Ela lembrou a edição do Decreto nº 2.242 datado de 15 de junho deste ano, ocorre a revogação automática do anterior que reduzia a frota em 30% para garantir o distanciamento social. “Então a partir desta terça-feira a frota deve ser recolocada em circulação 100% em toda a cidade”, disse a executiva da estatal de trânsito e transporte.
A dirigente da CTMAC falou também sobre algumas das obrigações acessórias das empresas de ônibus, pois com a retomada gradual das atividades econômicas a cidade naturalmente vai precisar de mais ônibus circulando, para se evitar que os coletivos transitem superlotados, afinal é preciso se observar o espaçamento mínimo entre os passageiros.

Cuidados

Selma Miranda, da CTMAC

Segundo Selma Miranda, que originalmente é oficial da Polícia Militar do Estado, a CTMAC irá também agir firme para fiscalizar o cumprimento destas obrigações. “Além da higienização dos veículos, as empresas precisam continuar disponibilizando por exemplo o álcool em gel, divulgando medidas de prevenção nos coletivos e também a limpeza diferenciada dos locais de concentração dos passageiros, os terminais de ônibus, que são áreas de uso comum de usuários e funcionários das empresas”, disse ele.

A diretoria de transporte da CTMAC continuará intensificando a fiscalização para que as empresas cumpram integralmente o que foi determinado por força de decreto municipal. “A população também precisa contribuir, saindo às ruas somente em caso de extrema necessidade e também observando as obrigações de proteção, como uso de máscaras e demais posturas”, concluiu.

você pode gostar também

- Publicidade -

Comentários
Carregando...