Prefeitura Header

Clécio confirma disputa ao governo e revela projeto para percorrer municípios

Ex prefeito de Macapá anuncia projeto de estar mais próximo dos amapaenses, começando por Santana, município onde pretende morar por um mês.

Elden Carlos, do Diário do Amapá

Após quatro meses de recolhimento político, desde sua saída da prefeitura de Macapá, onde esteve como gestor por dois mandatos seguidos, Clécio Luís (sem partido), revelou na manhã deste sábado (08), durante entrevista ao programa Togas&Becas (Diário 90,9FM), que iniciou um novo projeto vislumbrando a eleição estadual de 2022. Pela primeira vez, desde que passou a faixa de prefeito da capital a Antônio Furlan, Clécio admitiu que vai concorrer ao cargo de governador.

“Ressignificação. Essa é a palavra que coloquei como prioritária após os oito anos à frente da prefeitura da capital. Eu precisava retomar e organizar minha vida pessoal. Agora, com tudo reorganizado, estamos iniciando uma caminhada para ouvir as pessoas e sonhar coletivamente. A matéria-prima da política são as pessoas. Então, tudo o que se for fazer, deve ser feito de forma compartilhada. E ouvir os anseios da população é o primeiro passo. Mas é preciso que essas mesmas pessoas tenham voz na construção e execução desse projeto, de forma participativa”, disse o ex-prefeito.

Clécio revelou ainda que inicia um ‘caminhar’ diferente. “Decidimos lançar um projeto inovador e de conhecimento profundo dos municípios. E, pra isso, precisamos viver nesses locais. Vou iniciar pelo município de Santana, onde vou morar por um mês. Quero aprender como as pessoas vivem, de fato, conhecer a fundo seus sabores e dissabores, entender as demandas para saber de que forma podemos atuar na resolução dos problemas. É viver, literalmente, o dia a dia das pessoas. Vamos formatar nosso plano universal de governo para áreas como saúde e educação, mas respeitando a especificidade de cada município”, disse o ex-gestor, divulgando que os próximos municípios onde ele vai se ‘hospedar’ mensalmente são, Laranjal, Vitória do Jari e Oiapoque.

Questionado sobre de que forma pretende formar seu arco de alianças, Clécio não titubeou: “Estamos ombreados com o senador Davi Alcolumbre (DEM), e isso é algo que torna esse projeto sólido. O Davi mudou o eixo da relação entre Amapá e Brasília. Qualquer gestor gostaria de tê-lo ao seu lado. Nossa costura política é no sentido de agregar”, garantiu.

Com nomes postos do senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) e do vice-governador, Jaime Nunes (Pros), como pretensos candidatos ao governo do Estado, em 2022, Clécio foi provocado a fazer uma análise sobre esse cenário, levando em consideração, principalmente, uma disputa direta com seu ex-aliado político, Randolfe Rodrigues.

“O Jaime, quanto o Randolfe, são excelentes quadros políticos e seria uma disputa de alto nível. Todos sabem da minha relação contemporânea com o Randolfe. A política é isso, é feita de fases. Chega um determinado momento em que as ideias seguem caminhos diferentes. Foi o que aconteceu com o Randolfe. Repito, a disputa com ele seria de alto nível, mas, entendemos que caminhar juntos seria melhor ainda”, declarou.

Ainda sobre composições políticas, Clécio foi questionado se os mesmos aliados que o acompanharam na jornada de apoio ao então candidato a prefeito de Macapá, Josiel Alcolumbre, estariam ombreados nesse projeto governamental.

“Mantemos aqueles que nos apoiaram e seguimos em busca de novos aliados. Hoje, sigo uma linha de centro. Vou caminhar pelo centro, com as pessoas, com novas ideias. A gente precisa olhar o mundo sob uma nova ótica, e foi isso o que fiz. Tenho certeza de que vamos formar uma excelente equipe. É apenas o começo desse sonho sonhado por muitos”, concluiu.

Publicidade (x)

você pode gostar também

- Publicidade -

Comentários
Carregando...