Gove Header

Camilo Capiberibe exige que Câmara repudie apologia de Bolsonaro a 1964

Parlamentar do Amapá relembra trajetória de embates ao período da Ditadura Militar no Brasil e rechaça homenagens puxadas pelo atual presidente.

Cleber Barbosa, da Redação

O deputado federal Camilo Capiberibe (PSB/AP) concedeu entrevista no rádio ao programa Café com Notícia, na rádio Diário FM (90,9) quando disse que irá exigir um posicionamento formal do atual presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP/AL) sobre as manifestações do presidente Jair Bolsonaro em saudar a Ditadura Militar – e a intervenção do dia 31 de março de 1964.

Camilo lembrou que o período foi marcado por muitas mortes e acusações de tortura a presos políticos e que isso jamais poderia ser motivo de homenagens. “A câmara não pode perder nenhuma oportunidade de se manifestar. As redes sociais estão sendo avassaladoramente favoráveis ao não retorno dessa ditadura”, afirma Camilo Capiberibe sobre os recentes pronunciamentos em relação à Ditadura.

Ele citou casos como o da ex presidente Dilma Rousseff (PT) que sofreu as piores agruras nas mãos de um torturador nos porões do regime militar, coronel Carlos Ustra, que chegou a ser reverenciado por Bolsonaro durante a votação dop processo de Impeachment dela – quando ele era deputado federal.

Por fim, Camilo Capiberibe prometeu cobrar tais posicionamentos por parte do Congresso Nacional e rechaçou qualquer manifestação de reverência ao período em que os generais tomaram o poder no país.

Publicidade (x)

você pode gostar também

- Publicidade -

Comentários
Carregando...