Aumento de casos de Covid entre indígenas leva Exército à fronteira com Suriname

Ação Cívico Social coordenada pela 22ª Brigada de Infantaria de Selva leva atendimentos médicos e orientações diversas sobre o combate à pandemia.

O Comando da 22ª Brigada de Infantaria de Selva, a “Brigada Foz do Amazonas”, abriu no fim de semana uma Ação Cívico-Social (ACISO) na comunidade de Tiriós/PA, localizada na fronteira com o Suriname, que reúne cerca de dois mil indígenas das etnias Tiryó e Kaxuyana. Os militares permanecerão na região até a próxima terça-feira, dia 21, e prestam assistência de saúde e orientações preventivas para mitigar os efeitos da COVID-19, que já registrou quase 100 casos confirmados em indígenas.

A ação está sendo realizada a pedido da missão católica em Tiriós/PA, que solicitou ajuda humanitária ao Cmdo 22ª Bda Inf Sl, devido ao aumento dos infectados pelo COVID-19 nos indígenas, conforme pode se ver no extrato do Boletim Epidemiológico de 13 de Julho de 2020 – do Distrito Sanitário Especial Indígena – Amapá e Norte do Pará – que apresenta os dados acerca da propagação do vírus na área de atuação do Cmdo 22ª Bda Inf Sl.

A atividade é realizada por integrantes do Ministério da Defesa, Comando Militar do Norte, Centro de Comunicação Social do Exército, Comando da 22ª Brigada de Infantaria de Selva, Comando de Fronteira Amapá e 34ª Batalhão de Infantaria de Selva, 1º Pelotão Especial de Fronteira de Tiriós, Fundação Nacional do Índio e Secretaria Especial de Saúde Indígena.

Leia também:

Todos os militares e civis envolvidos na ação estão realizando medidas preventivas como: realização do exame RT-PCR e isolamento seletivo do pessoal diretamente envolvido na operação, independente de o vírus já estar presente naquela comunidade indígena. No momento do embarque, além da utilização de todas as barreiras de proteção e inspeção sanitária, os militares portarão todos os exames laboratoriais de higidez física e utilização de todos os equipamentos de proteção individual (EPI) no local da ação. Desse modo, todas as ações buscam impedir ao máximo a propagação do vírus naquela área e também a proteção dos participantes da ação, que terão contato direto com os indígenas.

Atendimentos

São empregados 28 profissionais de saúde, que realizarão atendimentos nas especialidades de clínica médica, ginecologia, dermatologia, pediatria, odontologia, farmácia e radiologia. A expectativa é de aproximadamente 60 (sessenta) atendimentos por dia, totalizando cerca de 300 (trezentos) nesta atividade. Serão distribuídos medicamentos à população para o tratamento de doenças diagnosticadas e todos os atendimentos de saúde irão promover cuidados básicos de saúde e orientações sobre a prevenção das mesmas, sempre respeitando os aspectos socioculturais de cada etnia.

Esta ação social conjunta com as demais Forças Armadas, FUNAI e SESAI, em Tiriós, é inédita e visa intensificar a assistência à saúde já prestada aos indígenas pelo Exército Brasileiro em toda a região amazônica, particularmente, neste momento importante de luta contra a COVID 19.

Boletim

Publicidade (x)

você pode gostar também

- Publicidade -

Comentários
Carregando...