Gove Header

Aline Gurgel esclarece voto favorável à manutenção do Auxílio Emergencial

A Proposta de Emenda à Constituição 186/19 permite ao governo federal pagar, em 2021, um novo auxílio emergencial aos mais vulneráveis, com R$ 44 bilhões por fora do teto de gastos.

Da Redação

A deputada federal Aline Gurgel (Republicanos-AP), esclareceu os motivos porque votou a favor do trabalhador pela volta do auxílio emergencial aos brasileiros. O auxílio será válido para o primeiro semestre desse ano. “Precisamos socorrer a população brasileira, mais de 44 milhões de pessoas, nesse momento de pandemia da Covid-19, que estão em vulnerabilidade social”, garantiu a deputada.

Aline Gurgel também destacou que dentro da PEC 186/19, havia a previsão de que os servidores não poderiam progredir na carreira. “Votei contra essa medida e assim, os servidores serão valorizados e continuarão a ter o direito a seus ajustes salariais”, enfatizou a parlamentar.

Para ela a Casa cumpriu seu dever com a aprovação da PEC Emergencial e viabilizou a retomada do auxílio emergencial. Os deputados concluíram, no início da madrugada da sexta-feira (12), a votação em segundo turno da PEC Emergencial. No total, foram três dias de votações, incluindo primeiro e segundo turnos.

A Proposta de Emenda à Constituição 186/19 permite ao governo federal pagar, em 2021, um novo auxílio emergencial aos mais vulneráveis, com R$ 44 bilhões por fora do teto de gastos; e impõe mais rigidez na aplicação de medidas de contenção fiscal, controle de despesas com pessoal e redução de incentivos tributários. “É mais uma ação concreta, prática, de que a união de esforços entre todos os poderes e todas as forças – apesar de todas as diferenças – é o único caminho para darmos as respostas que o povo brasileiro espera de nós”, afirmou o presidente da Câmara, Arthur Lira por meio de suas redes sociais.

Publicidade (x)

você pode gostar também

- Publicidade -

Comentários
Carregando...