Gove Header

1 milissegundo: por que interrupção tão rápida deixou Amapá no escuro?

Uma especie de acareação entre ONS, LMTE e CEA na próxima sexta-feira quer esclarecer fragilidades do sistema de redundância da distribuição de energia.

Cleber Barbosa, da Redação

A nova interrupção no fornecimento de energia elétrica no Amapá, teria sido de 1 milissegundo – um milésimo de segundo – de acordo com informações de técnicos do setor. Mas por que uma falha considerada corriqueira, vista em pelo menos sete vezes por dia no Brasil deixou o estado no escuro por quase três horas, levando tanto tempo para restabelecer o regular funcionamento das redes de distribuição? Para responder a essa e outras questões, haverá uma reunião entre as principais entidades e órgãos reguladores na próxima sexta-feira, dia 16.

O portal ConexaoBrasilia.com reuniu os principais posicionamentos dos atores envolvidos daquela ocorrência, para ver que sob o ponto de vista de cada um, há um ponto convergente que poderá ajudar a esclarecer o novo episósio – que da mesma forma como o apagão de novembro, alcançou 13 dos 16 municípios do Amapá – , que é a fragilidade do sistema de redundância do sistema local.

CEA

A Companhia de Eletricidade do Amapá (CEA) informa que a interrupção do fornecimento de energia na noite desta quinta-feira, 8, não teve relação com problemas de distribuição. Às 18h39, houve uma ocorrência na linha de transmissão do Sistema Interligado Nacional (SIN) de 230 kv no trecho Jurupari- Laranjal do Jari, na divisa entre Pará e Amapá, e provocou a interrupção do serviço em todo o Estado, com exceção do município de Oiapoque. Às 19h30, a  CEA recebeu a autorização do Operador Nacional do Sistema (ONS) para recompor os sistemas de distribuição após a normalização do trecho da linha de transmissão. O fornecimento está sendo restabelecido de forma gradativa na capital e demais municípios afetados.

ONS

O Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), responsável por monitorar o fornecimento de energia em todo o Brasil, informa que hoje, dia 8 de abril, às 18h34, houve a interrupção de cerca de 200MW de carga no sistema elétrico que atende o Amapá. Às 19h02min foi iniciado o processo de recomposição da energia e às 20h10 tinham sido recompostos 95 MW de carga. Às 21h40 todas as cargas estavam recompostas. O ONS reitera que, assim que identificou o problema, atuou prontamente para restabelecer o mais rápido possível o fornecimento de energia na região. O ONS avaliará as causas da ocorrência junto aos agentes envolvidos.

LMTE

A Linhas de Macapá Transmissora de Energia informa que já está reestabelecida a linha de transmissão Jurupari-Laranjal, que abastece sua subestação de Laranjal e que na noite desta quinta-feira (8) sofreu uma ocorrência, instantaneamente resolvida e cuja a causa está sendo avaliada. A LMTE destaca que sua subestação Macapá e os três transformadores da subestação Macapá funcionam sem intercorrências. Este tipo ocorrência acontece diariamente no Brasil e, no caso particular, expõe a fragilidade do sistema de energia do Amapá que não conta com redundância devido a questão de planejamento setorial.

MPF

Assim como o mais recente, os apagões anteriores já são objeto de investigação conduzida pelo MPF. Atualmente, as apurações encontram-se em fase de análise e requisição de novas informações e recebimento de respostas dos envolvidos. Os esclarecimentos sobre a última ocorrência serão incluídos no procedimento que apura as causas e responsabilidades pelos blecautes. Concluída a apuração, serão definidas as medidas cabíveis.

Apagão

O blecaute ocorrido na noite daquela quinta-feira foi o quarto evento registrado no Amapá, em um intervalo de cinco meses. O primeiro, em 3 de novembro de 2020, afetou a população de 13 municípios, por mais de 20 dias. A interrupção de energia, na última quinta-feira, durou em torno de três horas.

Leia também:

O Ministério Público Federal (MPF) quer que o Operador Nacional do Sistema (ONS), a Companhia de Eletricidade do Amapá (CEA) e a Linhas de Macapá Transmissora de Energia (LMTE) esclareçam as causas do apagão que afetou 15 dos 16 municípios do Amapá, nesta quinta-feira (8). O órgão e as empresas também devem informar as medidas adotadas para evitar nova ocorrência dessa natureza.

Publicidade (x)

você pode gostar também

- Publicidade -

Comentários
Carregando...