Tropical Header 2

Retratação põe fim a processo do governador contra jornalista no Amapá

Lilian Azevedo, da Redação

O jornalista amapaense Olívio Fernandes, que já ensaiou também entrar para a política partidária, fez um acordo judicial para pôr fim a um litígio judicial que se arrastava desde as Eleições 2018, depois que os advogados do governador Waldez Góes (PDT) acionaram o comunicador na justiça pelo que consideraram calúnias contra o então candidato. Olívio propôs se retratar publicamente, admitindo que não checou, antes de levar ao ar, a informação sobre suposto aluguel da própria casa por Waldez para servir de residência oficial.

Olívio publicou a primeira das três retrações definidas em acordo judicial em que tem que pedir desculpas ao chefe do Executivo estadual amapaense. Em maio de 2018, durante a apresentação do programa “Amapá Urgente”, da afiliada local da Tv Bandeirantes, Olívio Fernandes, afirmando que o aluguel era de R$ 40 mil mensais, pagos ao próprio governador com recursos públicos.

No mesmo programa, segundo a assessoria jurídica de Waldez, o apresentador ainda acusou o governador de estabelecer outro contrato irregular de aluguel, da sede do Superfácil da Zona Oeste. Olívio acusou o chefe do Executivo de pagar R$ 40 mil pelo imóvel, localizado no Marabaixo 3, em Macapá.

Como a defesa de Góes conseguiu comprovar que as acusações, feitas às vésperas do período eleitoral de 2018, além de danosas à imagem do político, eram falsas, Olívio propôs uma retratação pública. O acordo foi ratificado pelo juiz Augusto Cesar Gomes Leite, do Juizado Especial Criminal, da Comarca de Macapá.

Acompanhe a retratação na íntegra:

“No dia 3/5/2018 afirmei que o Governador Waldez Goes pagava 40 mil reais de aluguel do prédio do Superfácil, o que não é verdadeiro, tendo vindo a informação através de telespectadores, uma vez que o programa é ao vivo, pelo que reconheço que não tive o cuidado de buscar a verdade e reconheço que ofendi a honra do Senhor Governador, pelo que peço desculpas”.

Cautela

Falando ao Portal Conexão Brasília, o jornalista Olívio Fernandes disse que em 25 anos de profissão este foi seu primeiro processo judicial. Ele disse que a informação do suposto aluguel havia sido repassada a ele por um telespectador, ao vivo, portanto não houve tempo hábil para checar a denúncia. “Foi isso que eu disse na audiência perante o juiz, mas o governador se sentiu ofendido, daí termos caminhado para o acordo. Se a gente erra tem que pagar pelo erro, ficou a experiência, claro, vamos ter mais cuidado ainda”, completou Fernandes.

 

você pode gostar também
Comentários
Carregando...