PUBLICIDADE

PUBLICIDADE
*Divulgação da atividade parlamentar (Ato da Mesa 43/2009).

terça-feira, 3 de abril de 2018

POLÍTICA | Executiva nacional do MDB decide que Fátima e Gilvam disputam Senado

Presidente nacional do MDB, Romero Jucá, com Fátima Pelaes e a prefeita Beth Pelaes | Foto: Reprodução
Cleber Barbosa
Da Redação

A Executiva Nacional do Movimento Democrático Brasileiro (MDB) decidiu nesta terça-feira (03), em Brasília, que no Amapá o partido terá dois candidatos a senador, para por fim a uma verdadeira guerra fria que estava dividindo a legenda no estado. O anúncio foi feito pelo próprio presidente nacional do MDB, o senador Romero Jucá (RR), em um vídeo gravado para os correligionários do Amapá. "As duas vagas do Senado Federal, em qualquer coligação que participe o MDB deverão ser direcionadas para Fátima Pelaes e Gilvam Borges, portanto não se exclui a candidatura de nenhum deles", disse Jucá.
Os dirigentes nacionais do MDB buscaram encontrar uma via conciliatória, diplomática até, para acomodar os projetos políticos de dois dos principais quadros históricos do partido no Amapá, e postulantes a suceder um ícone no partido no Estado, o ex presidente José Sarney. Gilvam e Fátima são, respectivamente, um ex senador da república que já disputou para governador e prefeito, e uma deputada federal de cinco mandatos, que também já tentou Governo do Estado e Prefeitura de Macapá. "Ao mesmo tempo se dá condição de disputar com grande chance de eleição inclusive, de dois senadores no estado do Amapá", disse Jucá.
Fátima se disse muito feliz com a decisão tomada por unanimidade dos membros da Executiva Nacional para que possa garantir o direito de disputar a eleição para senadora. "Recebemos essa decisão com muito entusiasmo, afinal temos um trabalho no Brasil todo e no estado do Amapá com esse partido, fazendo com que o amapaense possa conviver e tenho certeza de que podemos fazer muito mais lá no Senado", disse ela.
Fátima está se desligando do cargo de ministra da Secretaria Nacional de Políticas para as Mulheres, para cumprir o que a legislação eleitoral chama de desincompatibilização do cargo para gestores públicos. Ela compunha o ministério do presidente Michel Temer desde agosto de 2016.

Outro lado
O ex senador Gilvam Borges, quando recebia o apoio de um novo filiado ao MDB, deputado Jaci Amanajás
Já o ex senador Gilvam Borges, que não foi para a reunião em Brasília, falou à nossa reportagem pouco depois de uma reunião política em que recebeu como filiado o ex presidente da Assembleia Legislativa, deputado Jaci Amanajás, que deixou o PV para entrar no MDB anunciando apoio à candidatura de Borges. "Recebemos essa decisão da Executiva do MDB como uma recomendação, a decisão final ficará a cargo do Diretório Regional, pois a gente vem trabalhando para compor uma chapa majoritária ao lado do governador Waldez Góes e vejo muita dificuldade para os outros partidos que se alinham com esse projeto aceitarem duas candidaturas ao senado vindas do MDB", declarou Gilvam
Entre esses partidos que buscam coligar com o atual governador indicando candidatos ao senado, estão o PTB de Lucas Barreto, o PROS de Jaime Nunes, o PPS de Jorge Amanajás.

Vídeo com o anúncio de Romero Jucá sobre as duas candidaturas ao senado

Nenhum comentário:

Postar um comentário