PUBLICIDADE

PUBLICIDADE
Matrículas abertas para Macapá!

sexta-feira, 9 de março de 2018

OPINIÃO | Notas da coluna ARGUMENTOS, quarta-feira, dia 07 de março de 2018.

Divergências 

A mineradora Beadell divulgou ter alcançado um quadrimestre recorde de produção, na mina Tucano, em Pedra Branca do Amapari. Mas a imprensa especializada contesta, diz que na verdade a mineradora acumula prejuízo de R$ 255 milhões.

Controle 

Aí fica o questionamento, aliás uma velha dúvida, que permeia o olhar da sociedade para a mineração, sobre a fiscalização dos resultados e o movimento real da exploração mineral, especialmente a lavra de ouro.

Legado

O Estado já devia estar calejado dessas histórias de mineradoras anunciando ter encontrado o tal Eldorado do Amapá de que tanto se falava. O caso mais emblemático foi o de EIke Batista, com a MMX na década passada.

Negociação 

Para quem não lembra, EIke investiu U$ 580 milhões de dólares na MMX, pintou locomotivas, trocou trilhos e depois colocou tudo na prateleira para vender. Negociou tudo por U$ 6,6 bilhões para a Anglo. Era gato.

Chancela

Por aqui, circulou a informação de que a mineradora PanAust, estaria com planos de comprar a Beadell. As duas são australianas, mas a segunda tem controle acionário chinês. Seria a explicação para a Beadell forçar desempenho?

Agro
Olha que boa notícia para o agronegócio, atividade econômica que só faz crescer no Amapá. A Universidade do Estado confirma implantação do curso de engenharia agrônoma, na grade de qualificações que passa a ofertar, assim o o de licenciatura plena em matemática. Haja cálculo, claro!

Energia 

A Assembleia Legislativa realiza dia 16 uma audiência pública que vai ter como tema “Energia Solar no Amapá: uma questão econômica, social e ambiental”. O evento será realizado no plenário provisório da Alap, situado no Centro de Convenções João Batista de Azevedo Picanço.

Alternativa

O debate foi proposta por Dr. Furlan. O parlamentar diz que é direcionado a todos que sofrem com a energia elétrica, e a conta de luz. Após levantamentos, ele concluiu que o Amapá pode se transformar numa potência de energia renovável, uma energia limpa ou potencialmente limpa.

Condições 

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) e Companhia de Eletricidade do Amapá (CEA) têm muito bem delimitados os seus marcos regulatórios para a utilização de energia solar ou fotovoltaica. A parte técnica desse marco regulatório está totalmente criada.

Nenhum comentário:

Postar um comentário