PUBLICIDADE

PUBLICIDADE
*Divulgação da atividade parlamentar (Ato da Mesa 43/2009).

terça-feira, 19 de dezembro de 2017

OPINIÃO | Notas da coluna ARGUMENTOS, terça-feira, dia 19 de dezembro de 2017.


Ifap

A pedido do Ministério Público Federal, a Justiça Federal suspendeu o processo seletivo do Ifap, o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia. A decisão judicial determina que o instituto realize provas em vez de análise do histórico escolar, como fazia.

Notas

O critério era análise do histórico nas disciplinas de Língua Portuguesa e Matemática referentes ao 6º, 7º e 8º ano do ensino fundamental, que ofenderia princípios constitucionais da isonomia e razoabilidade.

Mérito

O MPF considera o método inadequado e insuficiente para comparar o conhecimento e o mérito dos candidatos, os quais foram submetidos a distintos fatores e contingências durante a vivência escolar.

Critério

Para os procuradores, “a aplicação de prova classificatória e eliminatória é o critério menos distorcido e mais razoável para a avaliação e a disputa de vagas de processos seletivos públicos”, argumenta o órgão.

Decisão

A decisão judicial ordena, ainda, que, após a alteração do edital para constar o novo critério de seleção, o período de inscrições seja reaberto. Olha, exista quem discorde e acredite que as notas são sim, critério.

Caos
Estas imagens circularam no fim de semana, feitas por passageiros da Viação Santanense, que faz linha Macapá-Serra do Navio, Limpador de para-brisa amarrado com linha de pesca, volante preso com fita adesiva, viação exposta e pneus com a borracha rachada foram alguns flagrantes feitos na ocasião. Fiscalização promete apurar.

Soltos

Quatro pessoas presas preventivamente na Operação Minamata, realizada pela Polícia Federal para investigar esquema ilegal de exploração e venda de ouro foram liberadas depois de pagarem R$ 50 mil como fiança. O ex-superintendente do DNPM, Romero César da Cruz Peixoto, segue preso.

Nomes

A liberdade foi concedida ao ex-prefeito de Oiapoque e proprietário da Mineração Morro da Mina, Miguel Caetano de Almeida; ao gerente da empresa, Ricarte Caetano de Almeida; ao responsável pela A.J.C Cohen, ligada à Ourominas, Gilson Colares; e ao proprietário da Cecap/Dillon, José Ribamar Pereira.

Presos

Permanecem detidos Moisés Rivaldo Pereira, promotor de justiça aposentado e secretário Municipal de Educação de Macapá; Antônio de Sousa Pinto, presidente da Coogal, também preso a pedido do MPF; e Raimundo Nonato Martil Piaba, vereador de Calçoene.

Nenhum comentário:

Postar um comentário