PUBLICIDADE

PUBLICIDADE
Matrículas abertas para Macapá!

terça-feira, 23 de setembro de 2014

Coluna Argumentos, domingo e segunda, 07 e 08.09.2014

Decisão

Graças a magistrados iluminados e que esgotam o conhecimento técnico para apôr suas assinaturas nas sentenças que proferem, que o Judiciário Amapaense nos dá demonstrações de inequívoca credibilidade. É o que se pode dizer do fim do impasse Ecometals versus Icomi.

Nulo

O juiz de Direito Paulo Madeira, depois de analisar e ouvir oitivas de testemunhas, pronunciou nulo de pleno direito o contrato de Joint Venture que a Ecometals alegava para levar o manganês do Amapá.

Tribunal

Essa decisão foi da sexta-feira (05), mas antes, magistrados, como o desembargador Agostinho Silvério, já havia ‘limpado a área’, por assim dizer, para que a Icomi volte a ter os seus direitos garantidos.

Tecnologia

A coluna apurou que a Icomi paralisou suas atividades em Serra do Navio em 1997, por considerar exauridas as jazidas do manganês de alto teor. Passados todos esses anos, há mercado e tecnologia para o minério de lá.

Oriente

Sabe-se que vem da Coréia os prováveis compradores da futura produção mineral da Serra do Navio. É na Coréia que estão instaladas, por exemplo, potências como a Samsung e a Hyundai. Manganês nós temos.

Legado
Dizendo-se apaixonado pela história de Augusto Antunes, que ele só conheceu nos livros de escola, o empresário Érico Rossi está próximo de realizar um sonho improvável: ser o sucessor da Icomi no Amapá. Falta muito pouco para isso.

Cenário

Augusto Antunes brigou para ter o direito de explorar as jazidas de manganês existentes em Serra do Navio. A guerra fria (EUAxUSSS) acabou ajudando, pois os americanos decidiram comprar de Antunes o minério que era usado nos encouraçados e blindados. Seu império começava a ser formado.

Ajuda

Sabe-se que Antunes tinha um inglês fluente, boas idéias e visão de futuro. Só não tinha o dinheiro para tocar a mina de manganês do Amapá. Conseguiu levantar U$ 67 milhões com uma multinacional americana e iniciou sua obra. Mas o controle acionário permaneceu com ele. Era um nacionalista convicto também. Um grande brasileiro.

Renovação

Sobre o moço da foto acima, posso dizer que ele é o sócio brasileiro da Icomi S.A., que está sob nova diretoria e investidores. Érico Rossi e o coreano Dennis Chung repesentam agora a empresa fundada por Augusto Trajano de Oliveira Antunes, um homem à frente de seu tempo, um visionário.

Nenhum comentário:

Postar um comentário