PUBLICIDADE

PUBLICIDADE
*Divulgação da atividade parlamentar (Ato da Mesa 43/2009).

segunda-feira, 18 de agosto de 2014

Coluna Argumentos, domingo e segunda-feira, 17 e 18.08.2014.


Capital

Fábio Vilarinho, superintendente do Departamento Nacional de Infra-estrutura de Transporte (Dnit-AP), está em Brasília, de onde só retorna na quinta-feira. Na bagagem, orientações do ministro sobre como fazer deslanchar as obras nas duas rodovias federais daqui.

Retorno

Macapá recebe de volta um velho conhecido, dos tempos do território federal do Amapá. Trata-se do suíço /argentino Diego Borne, que marcou época como gerente do Novotel. Tem larga experiência em hotelaria.

Didático

Com seu carregado sotaque hispânico, Diego Borne foi ao rádio ontem e deu uma verdadeira aula sobre o turismo. Foi no Conexão Brasília, que registrou muitos telefonemas de ouvintes satisfeitos. E um contra.

Lembra?

Lembra do jornalista mineiro que escreveu o artigo “Toalha de restaurante alemão”? Pois é, ele saiu do Hoje em Dia e atualmente escreve no jornal Estado de Minas. É persona non grata por aqui.

Aprontou

O jornalista em questão é Eduardo Almeida Reis, que sugeriu a venda do Amapá para se estabelecer aqui um estado palestino. O humor negro valeu multa ao jornal e uma retratação do autor.

Esperança
Mineiro aposentado, Antônio Cláudio Barbosa, o Padeiro, é um dos que engrossam o movimento “Volta Icomi” na velha vila da Serra do Navio. Ele diz que manganês ainda tem muito e também esperança nessa segunda chance da mineradora.

Presença
Dito ontem pelo comandante do 34º BIS, coronel Alexandre, que as obras de construção da Brigada da Foz iniciam na festa preparada para receber os mais altos generais da Força no próximo dia 28. Depois de pronto, a obra vai abrigar tropas maiores e um general comandante.

Retreta

Por falar em nosso glorioso Exército Brasileiro, uma apresentação da eclética Banda de Música do 34º BIS no Teatro das Bacabeira vai abrir as comemorações pelo Dia do Soldado. Será na próxima sexta-feira, dia 22, e contará com grupos de danças locais e até cantores regionais. Essa integração com a sociedade é tudo o que o Exército preconiza. Dez!

Nenhum comentário:

Postar um comentário