PUBLICIDADE

PUBLICIDADE
Matrículas abertas para Macapá!

sexta-feira, 15 de agosto de 2014

Classe política amapaense lamenta a morte de Eduardo Campos


Por Fábio Gomes/Jornal do Dia


A classe política amapaense demonstrou profundo pesar com a morte do candidato à Presidência da República, Eduardo Campos, ocorrida ontem, durante um acidente aéreo em Santos (SP). O governador do Amapá Camilo Capiberibe (PSB) decretou luto oficial de três dias pela morte do correligionário. Eduardo Campos era presidente do diretório nacional da legenda. 
Camilo Capiberibe declarou em redes sociais ter suspendido a agenda de campanha para as Eleições 2014, nesta quarta-feira, em condolências a morte do candidato à presidência. 
João Capiberibe (PSB), senador pelo estado do Amapá informou estar impactado com a tragédia, declarando Eduardo como um grande amigo. “Estamos ainda sob o impacto da tragédia, é muito difícil para mim que tenho uma relação não só política mais também uma relação pessoal com a família. É muito triste ver uma liderança excelente como a de Eduardo desaparecer, ele tinha tudo para dar certo nesta campanha”, asseverou. 
Senador José Sarney (PMDB), frisou a importância de Eduardo para a política atual e declarou-o como um homem promissor no cenário político nacional. “O Brasil perdeu uma de suas maiores esperanças políticas. Eduardo tinha um grande futuro e vivia um grande presente e me junto a sua família e ao povo brasileiro nesse sentimento de perda, e peço a Deus que nos console e nos ampare”, ponderou. 
Já o senador Randolfe Rodrigues (Psol), comentou no Twitter ?”O Brasil perde muito nesse momento,” afirmou. 
Júnior Favacho (PMDB), presidente em exercício da Assembleia Legislativa do Amapá comentou a respeito da perda do candidato. “Mais que uma promessa da política, Eduardo Campos já protagonizava uma das mais belas carreiras públicas no país e um campeão de aprovação popular em seus dois mandatos como governador”, conclui. 
Por coincidência, Eduardo Campos faleceu nesta quarta-feira, 13 de agosto, mesmo dia em que seu avô Miguel Arraes que havia falecido há nove anos.

Repercussão internacional

A notícia repercutiu o mundo através dos noticiários internacionais, vários jornais de grande circulação abordou à tragédia em suas edições. O britânico The Telegraph escreveu, “Candidato presidencial brasileiro Eduardo Campos morre em acidente de avião”; O The Guardian, do Reino Unido, noticiou, “Candidato presidencial brasileiro Eduardo Campos morre em acidente de avião”; O Clarín, da Argentina, divulgou, “Morre um candidato a presidente do Brasil ao cair seu avião em São Paulo”; O La Nación, também da Argentina, evidenciou, “Morre em um acidente aéreo o candidato à presidente do Brasil Eduardo Campos”; O uruguaio El Pais publicou, “Morre o candidato a presidente do Brasil em acidente aéreo”; O chileno La Nación colocou em sua capa, “Morre candidato presidencial Eduardo Campos em acidente de avião”.



Nenhum comentário:

Postar um comentário