PUBLICIDADE

PUBLICIDADE
Matrículas abertas para Macapá!

terça-feira, 4 de outubro de 2011

No exercício da Presidência, Temer aumenta rigor nas fronteiras


Vice-presidente da República, Michel Temer (PMDB)

Após reunião com o presidente em exercício Michel Temer no Palácio do Planalto, o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, informou hoje (4/10) que o governo federal pretende duplicar o efetivo permanente da Operação Sentinela de prevenção e repressão aos crimes praticados nas regiões de fronteira. Segundo o ministro, na próxima semana, será apresentado um balanço com os resultados do Plano Nacional de Fronteiras e da Operação Sentinela.

“A comparação da execução desse Plano de Fronteiras, seja com os números anteriores à sua implementação, seja em relação ao mesmo período do ano passado, é impressionante, é impactante a evolução”, disse Cardozo.

Também participaram da reunião com o presidente em exercício representantes da Polícia Federal (PF), Polícia Rodoviária Federal (PRF) e Forças Armadas.
O ministro-chefe da Secretaria de Assuntos Estratégicos da Presidência da República, Moreira Franco, explicou que, além da operação de combate ao crime, o Plano Nacional de Fronteiras prevê ações de desenvolvimento econômico e social nos municípios que fazem divisa com outros países, como a implantação de programas de inclusão social. Segundo Moreira Franco, essa proposta será apresentada à presidenta Dilma Rousseff quando ela retornar de viagem à Europa.
“Nós apresentamos uma proposta de política para ocupação da fronteira da região amazônica. As fronteiras têm uma realidade social e econômica distinta, não só na parte interna, nossa, brasileira, mas também na nossa relação com os países que fazemos limites. Por consequência, nós vamos fazer programas de ocupação distintos”, afirmou Moreira Franco.
A Operação Sentinela foi lançada em maio deste ano e envolve a atuação conjunta da PF, Força Nacional de Segurança Pública, Receita Federal, PRF e polícias Civil e Militar, além do Ibama, das Forças Armadas e do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia (Censipam). De acordo com balanço apresentado pelo Ministério da Justiça, nos dois primeiros meses de implantação da Operação Sentinela, foram apreendidas 33,7 toneladas de maconha e cocaína nas fronteiras do país.

Veja também:



Nenhum comentário:

Postar um comentário